A fé não é de todos

Preaching-Of-St-Paul“… Para que sejamos livres de homens perversos e maus;  porque a  fé  não é de todos”  (II Tess. 3:2).

Os discípulos de Calvino  forçam a parte final do presente texto até não poderem mais. Sua tese é que, como “… a fé não é de todos …”, então, nem todos os homens podem ser salvos em hipótese alguma.

Entretanto, não é isso que o texto ensina. “Porque a fé não é de todos”, visa ser uma explicação da conduta hostil de alguns. Paulo estava em Corinto, a cidade ímpia e má, onde nãotodos tinham fé; de fato, poucos (cf. Atos 18:1-11) . aqui pode ser entendida no sentido de confiança (“nem todos os homens exercem fé”), ficando subentendido que  nem todos vão aceitar a nossa mensagem. O apóstolo Paulo transmite o conhecimento de que, embora a oração seja em prol da pregação bem sucedida da Palavra, nem todos creem (ou crerão).

O obstáculo ao progresso triunfante do Evangelho na área missionária do próprio Paulo achava-se na opinião humana que tinha de enfrentar. O apóstolo previa – na primeira parte do versículo – perigos da parte dos descrentes, judeus que eram seus oponentes. O que Paulo tinha em mente era a obstinação dos judeus. Era a rejeição deles a Jesus, como o Messias, que levantava sério problema. A iniquidade proposital daquela gente aumentara ao ponto que eles mesmos se tinham afastado propositadamente (não que eram predestinados), e nem se deixaram influenciar pelo Espírito Santo não querendo mais depositar confiança em Cristo. E é isso que a experiência cristã ensina; é possível que alguns indivíduos se obliteraram, individualmente, de qualquer possibilidade de virem a confiar em Cristo mediante rebeldia voluntária, o que é um estado trágico, mas onde se chega quando se rejeita voluntariamente a luz.

Paulo mostrava, por conseguinte, que os crentes tessalonicenses não se deveriam surpreender ante a horrenda obstinação de alguns homens contra o Evangelho e contra seus seguidores. Mas antes, deveriam compreender que os homens podem chegar a um estado de alma inteiramente caracterizado pela incredulidade, motivado pela perversão mais irracional. Tais indivíduos se mostram destruidores, havendo grande abundância deles no mundo atual.

Anúncios

2 comentários sobre “A fé não é de todos

  1. Pergunta-se então: Qual a é razão, o motivo que nem todos crerão? Ou seja, por que uns crerão e outros não? A Palavra não é a mesma? A oração não é por todos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s