Destinados para a vida eterna

“… e creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna“, Atos 13:48

O texto é difícil. Se o interpretamos da mesma forma que o lemos, ele derrubará não só os argumentos deste modesto estudo, mas também toda a mensagem do Novo Testamento, trazendo confusão e desânimo à fé cristã. É bem provável que o significado exato do contexto, é aquele que diz que os gentios que creram, o fizeram em virtude de perceberem o fato de que o plano divino de salvação também os  incluía. Ora, eles também estavam destinados a salvação, ou, a salvação também estava destinada a eles.

Aquele território estava abarrotado de gentios. Por este motivo o texto diz, “creram todos os que estavam destinados à salvação“. A salvação não é mais só para os judeus. O Deus que salva não faz mais acepção de pessoas. Por outro lado, a palavra “destinados” pode significar pouco mais que “dispostos”, referindo-se à preferência humana. Assim sendo, esse versículo passaria a fazer alusão às disposições naturais daqueles ouvintes gentios da Palavra de Deus. Creram tantos quantos “assim se dispuseram” (conforme a tradução essencial de Whitby e Adam Clarke, os quais se referem à boa disposição mental desses ouvintes, o que se destaca mais, no texto sagrado, do que qualquer pensamento sobre alguma predestinação divina). A frase significa que nem todos na cidade creram no Evangelho.

Embora à primeira vista Atos 13:48 parece ensinar que Deus escolhe (ou seja, nomeia) pessoas a serem salvas, nada poderia estar mais longe da verdade com o que está claramente evidenciado, se compararmos esta passagem com outras Escrituras. Por exemplo, considere as palavras de João 1:12,

Mas a todos quantos o receberam , deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, aos que creem no seu nome“.

A palavra τεταγμενος, traduzida como destinados em algumas versões, e ordenados em outra versões, vem do verbo ταττω ou τασσω (“tasso”),  que  significa “a nomear, organizar, colocar em ordem, ordenar ou decretar, dispor, colocar em conjunto“,  que foi considerado aqui como implicando a disposição ou prontidão de espírito de várias pessoas, como os prosélitos religiosos mencionados em Atos 13:43, que possuíam  o reverso da disposição dos judeus que falaram contra aquelas coisas, contradizendo e blasfemando ao que Paulo dizia, Atos 13:45. Observe todo o contexto até o versículo em estudo,

43    E, despedida a sinagoga, muitos dos judeus e dos prosélitos religiosos seguiram Paulo e Barnabé; os quais, falando-lhes, os exortavam a que permanecessem na graça de Deus.

44 E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus.

45 Então os judeus, vendo a multidão, encheram-se de inveja e, blasfemando, contradiziam o que Paulo falava.

46 Mas Paulo e Barnabé, usando de ousadia, disseram: Era mister que a vós se vos pregasse primeiro a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais, e não vos julgais dignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios;

47 Porque o Senhor assim no-lo mandou: eu te pus para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até os confins da terra.

48 E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.

Os judeus – considerados predestinados por excelência – contradiziam e blasfemavam, mas os prosélitos e os gentios ouviam atentamente, recebendo a palavra da vida. O partido dos judeus estava totalmente indisposto através de sua própria teimosia, para receber o evangelho, enquanto os outros, destituídos de preconceito e indisposição, foram felizes em saber que, na ordem de Deus, os gentios também foram incluídos (destinados ou ordenados) no pacto de salvação através do Senhor Jesus.

Porém, se queremos interpretar o contexto através da visão calvinista, poderíamos afirmar que o Apóstolo Paulo dizia apenas que aos gentios foi dada a salvação, sendo assim  também eles ordenados para a vida eterna.

A  palavra no original grego  não é usada uma vez nas Escrituras para expressar predestinação eterna de qualquer tipo. A soma é, todos aqueles gentios que  foram alcançados pela salvação, agora se dispuseram a acreditar. Não que Deus rejeitou o resto, mas era  sua vontade que eles também  fossem salvos. Portanto, o Apóstolo Paulo não usou os verbos gregos equivalentes a Pré-ordenados e Predestinados ( προτεταγμενοι ou προορισμενοι), mas simplesmente τεταγμενοι (“tasso”) , que não inclui  nenhuma idéia de pré-ordenação ou pré-destino. E, se ele o tivesse feito, seria bastante perigoso afirmar que  todos aqueles que acreditaram neste momento eram os que realmente perseveraram  até o fim, e foram salvos para a vida eterna.

Seja qual for a nuança exata das palavras, não há sugestão alguma de que receberam a vida eterna independentemente de seu próprio ato de fé. Também, não vemos no texto nada que sugere que os que não creram  o fizeram porque já estavam predestinados à perdição.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s